Quando o bem vira mal? Onde o puro maniqueísmo acaba e o bem se perde e a ordem se torna tirania? Não seria estranho perceber que após muitos anos de paz e tranquilidade, alguém pode se perguntar o que é o bem? E se assustar e descobrir que talvez nada do que o que ela esta vivendo é na verdade bom! Existem muitos exemplos disso na literatura fantastica e também na ficção científica além de vários livros de estudo sociológico! Afinal o que é o bem e o mal senão uma grande convenção social?

Mas esse texto não vem tratar de um assunto filosófico e sim de uma forma de olhar para o RPG num estilo de jogo que anda esquecido (na opinião deste que vos escreve). Claro, este texto é voltado para D&D e Dragonlance mas é totalmente extrapolável a outros sistemas e cenários.

Vamos lá. Vamos nos reportar à época dourada de Istar, e ao tempo dos Kingpriests of Istar! Uma época de um reinado em apogeu e, mais importante, um reinado dominado e comandado pela forças do bem! A neutralidade é apenas suportada enquanto que a maldade é punida quase sempre com severidade se não com sumariedade.

Até que então uma grande praga chega para assolar a terra e quase destruir esse poderoso império! A divindade suprema do bem, Paladine, procura em sonho uma jovem sacerdotisa de sua ordem e a manda em busca de um salvador para a terra um rei-sacerdote que poderia curar a terra de toda a maldade!

E a sacerdotiza encontra esse jovem, um sacerdote de Paladine que pode ser o grande rei-sacerdote, o único clérigo do reinado capaz de curar a praga que assolava Istar!

Até aqui, meus amigos, estou dando um resumo do primeiro livro da Kingpriest Trilogy – Chosen of the Gods, que conta a busca pelo rei-sacerdote de Istar e seu envolvimento com um personagem importante da historia, Cathan Twice Born, que viria ser o melhor amigo do rei-sacerdote e chefe de sua recém-criada ordem de cavaleiros!

Durante todo o segundo livro — Divine Hammer — vemos uma crescente preocupação do rei sacerdote de Istar em livrar o mundo de toda forma de mal e o crescimento rápido da ordem dos cavaleiros do rei-sacerdote.

É nesse momento em que a paz reina soberana e o bem domina o império, que uma tentativa de assasinato do rei sacerdote de Istar faz com que ele perca completamente qualquer pudor para erradicar o mal! É nessa época que ambas as torres da alta magia de Dargoth e Locarum são destruídas e a torre de Istar é tomada! Até mesmo cultistas dos deuses da neutralidade são caçados como agentes do mal! E com o passar do tempo até mesmo as formas mais diferenciadas do culto ao proprio Paladine!

É nesse momento que Cathan Twice Born é acordado para a verdade! Beldinas já não era mais o rei-sacerdote bondoso e caridoso, e sim um tirano assentado sobre o poder e o título de um império de bondade.

Esse, senhores, é um breve resumo de dois livros da que para mim é a melhor trilogia de Dragonlance. Aqui também termina a ambientação para o que eu quero discutir. Não percam o próximo texto!

Douglas é jogador de futebol americano pelo São Paulo Spartans, sempre arruma um tempinho para jogar RPG desde os 10 anos de idade, e nas horas vagas — mas só mesmo nas horas bem vagas— ele é arquiteto.

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE
%d blogueiros gostam disto: