Beldinas the Lightbringer, o homem temido por todos os maus, o escolhido dos deuses — ou assim se pensava — quer por um fim de uma vez por todas em toda maldade do mundo! Trancafiado, estudando os discos de Mishakal, o grande rei-sacerdote descobre como fazê-lo: ele ORDENARIA aos deuses que aniquilassem todo o mal.

Nesse momento, iniciam-se os sinais: Os deuses de Krynn, especialmente os malignos, não podiam tolerar tal atitude. Paladine, porém, interveio, pedindo que sinais fossem enviados para que o povo e o rei-sacerdote pudessem se redimir de tamanha ofensa, mas o povo e os sacerdotes continuaram cegos frente à vontade dos deuses.

E eu pergunto, meus amigos: como evitar o inevitável? Como parar agora não somente uma força armada e um líder carismático, mas também a força dos deuses?

Não há o que fazer, certo? Mas é claro que há!

A chance de aventuras épicas (e não estou falando de jogos com personagens de níveis 21 ou mais), nessa hora, é muito grande. Então vamos lá!

Nesse momento da história muitos dos fatores cruciais estão se desdobrando. Fistandantilus, o famigerado mago, vigora como o conselheiro secreto de Beldinas e se prepara para sua tentativa de adentrar o Abismo e tomar o lugar de Takhisis. Enquanto isso, os anões guerreiam pela estadia em Thorbadin nesses momentos de dificuldade. Lord Soth tem a chance final de salvar o mundo.

Eu, particularmente, sempre imaginei que uma ótima ideia de campanha seria usar os personagens-jogadores como cavaleiros e amigos de Soth, para que estes fossem ajudá-lo na busca por redenção para o mundo. Quão dramático não seria para os personagens ter que enfrentar tantos desafios e, no fim, se verem traídos por aquele que poderia mudar tudo?! Ou, então, quem não compartilharia de seus sentimentos de ciúmes e poder? De sua raiva e desapontamento? Ora, por que não guiar seus personagens para que, no fim, quanto mais eles pensem que estão salvando o mundo, para mais próximo da “danação” eles o levam?

Esse é só um exemplo. Temos ainda a destruição das torres de alta magia de Dargoth e Locarum. Dargoth foi algo absurdamente brutal e grande parte dos cavaleiros de Beldinas foi morta nesse ataque.

Veja bem, essas não são proposições de jogo para jogadores iniciantes e nem para jogadores que não lidem bem com o fator da dúvida e da traição, e também não serve para jogadores que não sabem jogar campanhas e jogos em que o resultado já está previamente definido e o que conta é o heroísmo de suas ações. Aqui o mote é o famoso “o que você vai fazer a respeito até que o inevitável aconteça?”.

Use o cataclismo! Esse foi um acontecimento que mudou o mundo de Krynn e é uma época excelente para campanhas épicas e com uma grande carga narrativa-interpretativa.

E, assim, terminamos a última parte.

Fe palado calib, fe istaras apalo

Douglas é jogador de futebol americano pelo São Paulo Spartans, sempre arruma um tempinho para jogar RPG desde os 10 anos de idade, e nas horas vagas — mas só mesmo nas horas bem vagas— ele é arquiteto.

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE
%d blogueiros gostam disto: