Salve, salve, minha galera nerd deste Brasil tomado pelo inverno! Mais do que nunca cheguem perto dessa lareira e vamos nos aquecer. Tomem, peguem um copo desta bebida para aliviar esse frio e dar uma animada!

Conversando com Sir Edward do Great Pendragon Podcast surgiu o pedido para falar um pouco sobre um pessoal que povoa não só as Ilhas Britânicas, mas também o cantinho de cá da Europa: os celtas. Bom, vamos conversando sobre quem eram esses povos e o choque que a sua cultura causou quando a colonização cristã e romana apareceu. Então, fãs de Pendragon, vamos aos fatos.

Os Celtas eram os povos que habitavam a faixa central da Europa que ia da Península Ibérica até a Anatólia. Eles introduziram a metalurgia nessa parte do mundo e eram divididos em inúmeras tribos, dentre as quais as mais conhecidas eram os Bretões, os Gauleses, os Batavos (na atual Holanda), os Scotts (ou Escotos), os Belgas, os Gálatas (na atual Turquia), os Trinovantes (na Bretanha entre Essesx e Soffolk) e os famosos Caledônios. Formados em torno de clãs, que eram famílias aparentadas por sangue, viviam em torno de uma mesma comunidade agrícola e assim podiam proteger-se e manejar a terra mutuamente. Suas crenças baseavam-se nas forças da natureza, que era a expressão máxima da Deusa Mãe. Apesar do feminino ser altamente sacralizado, a sociedade era patriarcal.

Vamos deixar os nossos queridos Gauleses para uma outra oportunidade, juntamente com os demais Celtas, e vamos dar um background cultural para os Mestres e Jogadores de Great Pendragon. Falaremos da galera que estava nas Ilhas Britânicas quando os romanos chegaram. Era o ano de 55 a.C, quando Júlio César enviou expedições às Ilhas mas, dessa vez, a fúria romana não haveria de chegar, pois o imperador fora chamado de volta a Roma para suprimir algumas revoltas e ficou por lá mesmo, assassinado por Brutus, seu filho adotivo. Quem finalmente colocou os pés na Bretanha em 43 d.C., um século depois,  foi o imperador Cláudio e, pasmem: quatro legiões inteirinhas, cada uma com seus 10 mil homens!

© 2008 Rafstern

Mas não pensem que os romanos tiveram vida fácil como em muitos outros lugares onde a Águia Dourada pousou. Os primeiros a dar problemas aos legionários foram os Trinovantes. Porém, a organização, as armas e o número dos soldados foi suficiente para ir exterminando as resistências.

Um adendo romano pré-cristão: eles só queriam os territórios e os impostos e produtos provenientes deles, não queriam empurrar a sua cultura. Isso se modificou com o tempo, quando o cristianismo passou a ser a religião oficial do Império e sede da grande potência religiosa do momento. Aos poucos eles foram “romanizados”, mas havia resistência. O imperador Adriano foi obrigado a construir uma muralha para segurar os celtas mais selvagens ao norte da Bretanha, na atual fronteira entre a Inglaterra e a Escócia.

Esse é um papo para a nossa próxima conversa, pois o tempo já vai avançando e o frio, apertando. Vamos tomar o último gole e no vemos na próxima, onde discutiremos como o choque entre o cristianismo e a velha religião causou um alvoroço nas Ilhas!

Um nerd normal, que sabe um pouco de Latim, pesquisa Idade Média e escreve bastante. Professor por vocação, tenta gerar pensamento crítico na cabeça dessa molecada dando suas aulas doidas de Produção Textual, Português e Literatura. Amante de uma boa cerveja e um ótimo papo com a galera.
Adsum! Estamos presentes!

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE
%d blogueiros gostam disto: