Salve, salve, minha galera nerd dessa imensa Terra Brasilis, sejam bem vindos à sua taverna costumeira! Estamos começando mais uma temporada de muito papo e comilança. Então puxem o seu banquinho de sempre e peçam o que quiserem comer.

Ao longo desses anos nerds, acompanhando de perto a preguiça de nossos compatriotas reclamarem de alguns autores como o Tolkien, por acharem o camarada muito descritivo. Tudo bem, eu admito que gosto pra caramba do cara, admito também que às vezes ele e o José de Alencar dão as mãos e passeiam juntos pelo jardim das descrições. Porém, a minha pergunta é: qual o meio de introduzirmos alguém a um mundo totalmente novo e desconhecido, que está somente nas nossas cabeças, sem abusar um pouquinho dos detalhes?

Esse raciocínio todo é justamente para falarmos um pouquinho sobre a ambientação nas mesas e como podemos proceder.

No RPG, o quanto mais detalhado — tirando o exagero — seu cenário for, mais chances seus jogadores terão para estarem totalmente imersos em nossa atividade lúdica favorita. A história correrá melhor.

Eu sei que geralmente bate um bloqueio criativo em relação ao cenário e/ou a história. Isso realmente acontece e é desesperador. Por isso, trouxe algumas dicas para deixar a nossa mente bem afiada:

A primeira dica é a leitura. A leitura constante é a chave para armazenarmos situações e lugares para serem usados posteriormente. Não tenham vergonha de pensar uma aventura em cima do que é narrado em um livro ou filme, grande obras são criadas tendo outra como fonte de inspiração.

Tenha sempre por perto um bloquinho de anotações, pois a inspiração brota nas horas mais impróprias. Eu mesmo já cansei de acordar às três da manhã com um poema na cabeça, pegar o caderno, escrevê-lo e voltar a dormir. Toda vez que for criar uma aventura nova, as idéias surgirão através dele.

Responda sempre a essas perguntinhas: A história é sobre o quê? Onde ela se passa? Qual o objetivo final dos personagens? O que estará no caminho deles?

Já é um começo, são perguntas básicas. Não tenha medo da resposta, elas trarão novas perguntas. Vá colocando tudo no papel e vejamos no que vai dar. O mais importante é praticar. Escreva, reescreva e apague tudo se for preciso. Com o tempo e com a prática tudo vai se transformando. Seus jogadores agradecerão e com toda a certeza se lembrarão dessas aventuras para o resto da vida.

Bom, está ficando tarde e vocês têm que descansar. Cabeças frescas estimulam a criatividade (assim como a cerveja). Foi bom me reunir com vocês nessa nova jornada que se inicia. Espero que tenham gostado da nova safra do vinho. Até a próxima, na sua taverna de sempre!

Um nerd normal, que sabe um pouco de Latim, pesquisa Idade Média e escreve bastante. Professor por vocação, tenta gerar pensamento crítico na cabeça dessa molecada dando suas aulas doidas de Produção Textual, Português e Literatura. Amante de uma boa cerveja e um ótimo papo com a galera.
Adsum! Estamos presentes!

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE
%d blogueiros gostam disto: