Gênero: Família | Estilo: Europeu | Jogadores: 2–5 | Duração: 30–45 min.
Quem gosta de jogos de tabuleiro mas não quer ou não pode importar os excelentes board games que existem nos Estados Unidos sofre com a falta de opções no Brasil. Com poucas exceções, o que temos aqui são reproduções ad nauseum dos jogos da Hasbro, versões infinitas de War, Banco Imobiliário e Jogo da Vida.

Em tempos idos, a Grow era uma boa fonte de jogos diferentes. Faz tempo que isso acabou, mas as coisas podem estar mudando. Ano passado, eles lançaram no Brasil a versão portuguesa de Setlers of Catan — clássico dos clássicos dos jogos de tabuleiro europeus, criado há mais de 15 anos por Klaus Teuber. Em Agosto último, a Grow lançou outro dos grandes jogos tradicionais saído da escola alemã de jogos de tabuleiro. De outro Klaus (este, Klaus-Jürgen Wrede), Carcassonne.

© 2012 Marcelo Dior

(Encontrei o jogo numa loja local, depois de ter entrado por curiosidade, para ver se eu me depararia com outra surpresa, como quando achei Catan. Não preciso dizer que comprei um exemplar de Carcassonne na mesma hora.)

Chamado no Brasil de Domínio de Carcassonne, é um jogo de 2001, que já recebeu várias expansões no exterior, tem uma versão digital na Xbox Live, para iOS (iPod touch e iPhone) e navegadores, e é o responsável pela popularização do nome “meeple” para o que no Brasil nós chamaríamos de peões.

Carcassonne é o nome de uma cidade fortificada francesa, e as peças de terreno no jogo dão, se você parar para pensar, um ar de sul da França ao jogo. É um jogo de estratégia, para 2 a 5 jogadores, bem fácil de aprender, com um nível inicial de complexidade que o faz acessível a não-jogadores e crianças — mas que pode facilmente ser aprofundado por jogadores mais hardcore, criando um jogo complexo e disputadíssimo. Basicamente, você coloca tiles à mesa e pode ou não colocar um meeple sobre eles no — e somente no — instante em que coloca um tile. Quando você completa um cenário, uma área — que pode ser uma cidade (onde o meeple se chama cavaleiro), uma estrada (ladrão) ou uma área ao redor de um monastério (monge), você remove seus meeples e ganha pontos. Bem simples, certo? Só que seus adversários também estão fazendo a mesma coisa, e você precisa decidir se deve colocar meeples em vários lugares, mas ficar sem nenhum à mão se suas áreas não forem completadas, ou esperar demais e ver seus adversários dominando o tabuleiro (e se enchendo de pontos). Além disso, meeples colocados em campos (fazendeiros) ficam no tabuleiro até o fim, pontuando de acordo com o número de cidades completadas que tocam seu campo. Em quase todos os jogos que joguei, os fazendeiros decidiram o jogo na contagem final de pontos — mas colocá-los tem um preço alto, pois você trava um meeple até o fim da partida, ficando com menos meeples para distribuir no tabuleiro.

É um jogo bem rápido, para os padrões de um board game. Uma partida pode chegar a 45 minutos, se a mesa estiver cheia e você estiver jogando com gente que não está muito acostumada a jogos de tabuleiro mais complexos que Jogo da Vida. Partidas entre mim e minha esposa não passam de 25 minutos.

© 2012 Marcelo Dior

Além de ser rápido e fácil de aprender, ele é ótimo para se jogar com crianças. A Grow indica Domínio de Carcassonne para jogadores a partir de 8 anos, mas tenho certeza que um garoto esperto de 6 já consegue jogar. Os adultos vão gostar no nível de estratégia que o jogo pode envolver, se você estiver jogando com jogadores inveterados, ou pode simplesmente armar uma partida com sua irmã e seus sobrinhos, que todo mundo vai se divertir.

Ponto para a Grow por trazer este grande jogo para o Brasil. Eu ficaria muito surpreso se um dia encontrasse as expansões numa loja, mas também ficaria muito feliz (a caixa nacional, maior que a alemã e a americana, certamente deixa espaço para guardar algumas expansões). No Brasil, eu acho que não temos muito esse hábito de expansões de jogos, mas seria uma boa se a Grow quebrasse a regra. Ela já trouxe jogos bem diferentes no passado para o Brasil. Quem sabe a empresa não está voltando à antiga forma?

Domínio de Carcassonne está à venda na loja on-line da Grow por R$ 76,99 mas é possível encontrar mais barato em lojas de brinquedos (paguei R$ 74,99 na minha cópia no BMart). Sinta-se livre para comprar onde quiser, pois ninguém está patrocinando este texto.

Para uma versão visual desta resenha (assim como um gameplay rápido), assista a este vídeo:

Marcelo foi criança nos anos 80, então videogame pra ele é Sega, RPG é HeroQuest e calçado é All Star. Lê ficção especulativa sempre que pode, de preferência David & Leigh Eddings, Anne McCaffrey e John Scalzi. Evita TV como a peste — exceto se estiver passando Jornada nas Estrelas ou Supernatural. Gosta mais de cães do que de gente e abandonou a carreira de professor secundarista de História para pesquisar história da saúde pública na Escola de Enfermagem da USP de Ribeirão Preto.

Facebook Twitter Google+ Flickr Vimeo Skype  

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE
%d blogueiros gostam disto: