Eu acho que eu enfrento alguns problemas bem comuns entre os jogadores de RPG de hoje em dia: Falta de tempo para jogar, um grupo perto de casa sem ter que cruzar a cidade e, no caso de uma grande cidade, a duração da viagem de ida e volta até o local onde rola o jogo é no mínimo metade do tempo que dura a sessão.

As situações são inúmeras para que você precise arrumar uma alternativa para jogar, seja um desses problemas, ou alguma outra situação que impeça de você conseguir um jogo presencial, ou por ter duas ou três horas livres depois da faculdade ou até antes da esposa chegar da faculdade.

Para isso, hoje em dia dispomos da Internet e de inúmeras ferramentas que ampliam bastante o escopo do jogo. Desde as mais simples como um simples chat, que existe desde os primórdios da internet, até ferramentas especialmente voltadas para jogos de RPG e algumas que não deveriam estar fora nem de mesas presenciais.

Tendo essa necessidade de muitos de nós eu resolvi lançar a coluna Mesas Virtuais contando um pouco da minha experiência com esses programas, como inovar usando ferramentas simples do dia a dia até as ferramentas feitas especificamente para jogar.

Um pouco de História

Usenet: Tela de fósforo verde
Usenet: Tela de fósforo verde

Essa história de jogar RPG usando a internet para reunir jogadores é tão velha quanto a própria internet. Quando a internet surgiu ainda não existiam sites e páginas para se navegar, e email apesar de dar os primeiros passos ainda não era popular, mas existia a Usenet, ou newsgroups, que de uma forma simples se assemelha aos atuais fóruns. De lá que surgiram muitos acrônimos usados até hoje como BRB ou LOL, termos como “flame war” e até os emoticons que usamos até hoje.

No inicio tudo era uma bagunça, mas desde cedo o assunto RPG podia ser encontrado ai no meio e o pessoal já dava um jeito de fazer pelo menos um role-play nas mensagens. Em 1987 com uma reformulação geral e categorização foi criado o newsgroup rec.games.frp (voltados para os fantasy role play) e diversos sub-fóruns (dnd, gurps, cyber, entre outros). Hoje os newsgroups são apenas mais um braço da Google, mas eles possuem arquivos bem antigos, e ler as questões nos newsgroups que eram dúvida no século passado e compará-las com as de hoje é no mínimo uma diversão a parte!

Algumas mensagens encontradas na Usenet são de pessoas conhecidas no mercado de RPG que serviu como uma importante ferramenta na divulgação do primeiro D&D e inclusive a famosa história do Serviço Secreto Americano e o GURPS Cyberpunk chegou ao conhecimento publico mais pelas mensagens na Usenet do que pelos meios comuns de comunicação.

Nessa mesma época os jogadores de RPG, possuindo acesso à internet através dos computadores das faculdades americanas viram na internet um grande meio de reunir jogadores e mestrar para grandes grupos. Quase imediatamente expandiram essa idéia, transformando o computador em mestre e assim, através de programas especiais chamados MUD (Multi-user Dungeon) eles conseguiam criar dungeons, com salas possuindo monstros, objetos, armas e tudo mais que pudessem tirar dos livros de RPG e criar um jogo onde qualquer um que pudesse acessá-lo estaria em um ambiente virtual. Hoje isso não parece muito com os jogos, gráficos MMO’s e todo tipo de recurso, mas em 1979, onde para fazer isso os estudantes burlavam regras sobre o uso de computadores, era sim um grande negócio.

Ages of Despair MUD
Ages of Despair MUD

Os MUDs eram simples, a maioria deles exigia apenas uma conexão telnet (conexão texto) com o endereço IP do servidor e você recebia uma frase perguntando quem você era e como alternativa permitia você criar um novo personagem. As primeiras versões baseadas fortemente em D&D ofereciam Anões, Elfos, Guerreiros, Magos e Hobbits.

A partir daí era apresentados textos como: — Você está em uma sala com uma fonte, e existem saídas para Norte e Oeste. Seu comando? –Os comandos, em inglês, eram dados através do prompt: N para Norte, W para Oeste, LOOK, EAT, WEAR, WIELD, ATTACK, entre dezenas de outros. Todo comando era respondido com um texto indicando o sucesso, ou não, da ação realizada. Encontros aleatórios e monstros espalhados pela tal dungeon davam o tom do jogo.

O que faz desse recurso uma espécie de Mesa Virtual e não o primórdio dos MMO’s é simplesmente o fato desses programas (MUD) terem a necessidade da criação constante de salas, aventuras e história pelo mestre, pelos mantenedores do programa.

No meio dos anos 80, MUD’s eram manias em grupos de jogadores, que faziam de tudo para acessar e ver o conteúdo iserido por seus mestres no dia anterior. Era uma sessão de RPG mais impessoal, mas permitia que o mestre com auxilio do computador distribuísse suas aventuras pelo mundo afora e os jogadores pudessem interagir para resolver desafios.

Tanto os newsgroups como os MUDs existem até hoje. Os mais famosos hoje em dia até tem mestres atualizando conteúdo de tempos em tempos, mas é uma arte em desuso e possivelmente você só conseguiria acessar conteúdos criados à muito tempo atrás, mas claro, não menos interessantes.

E tendo em vista esses casos, no que os jogadores conseguiam fazer para jogar usando esses recursos, na época em que apareceu a internet e que saber programar era um requisito para se usar o computador, é que começo essa série. E também para acalmar a ansiedade do pessoal que mora longe de tudo e de todos, ou cuja vida agitada não abre muito espaço para o RPG ou que simplesmente tem preguiça de sair da cadeira. Existe esperança para vocês…

Até a próxima.

Leia Mais:

Usenet, parte do Google Groups: http://groups.google.com/

MUDs no Wikipedia: http://pt.wikipedia.org/wiki/Multi-user_dungeon

MUD Connector – Agregador de MUDs: http://www.mudconnect.com/

* Artigo originalmente publicado no Paragons

Yastromo

Formado em Ciências da Computação e aficionado por ficção e fantasia escreve desde contos e histórias até análises de regras de sistemas ou mundos reais ou imaginários.

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE
%d blogueiros gostam disto: