MS Surface no Flickr © 2008 jblyberg

MS Surface no Flickr © 2008 jblyberg

Dando continuidade a série Mesas Virtuais, vou falar sobre os meios de se jogar online hoje em dia, começando pelos mais simples!

Existe duas maneiras bem comuns de você entrar em um jogo via internet hoje em dia: e-mails e fóruns, respectivamente PBeM (play by e-mail) e PbF (play by fórum).

Esses jeitos de jogar foram caminhos que os jogadores encontrara ao longo dos anos para interagir entre si sem a necessidade de nenhum programa mirabolante e utilizando-se de recursos clássicos da internet. Afinal, eMail existe antes até da própria web (que são os com seus sites e páginas) e fóruns são coisas das antigas BBSs que vieram antes da internet em si.

Antigamente, antes do próprio RPG existiam jogos categorizados de PbM (Play by Mail), onde os jogadores trocavam cartas para interagirem. O mais conhecido era o Diplomacy, um jogo de tabuleiro criado em 1954 e totalmente baseado em negociações, sem nenhum fator sorte, e portanto facilmente gerenciável via correio (tradicional). Como curiosidade outro grande jogo a se utilizar o correio para jogar era xadrez. Com a internet, o próprio Diplomacy transformou-se em um jogo via e-mail.

Como funciona …

Os RPGs via PBeM são realizados de forma simples. Um mestre descreve a cena para seus jogadores, e a partir daí a ação pode ocorrer em turnos, onde cada jogador toma sua ação baseada nas informações do mestre e dos jogadores que porventura agiram antes, ou então os jogadores tomam suas ações e cabe ao mestre organizá-las de forma ideal para montar a próxima cena, e, obviamente, tudo se dá através da troca de emails entre todos. Essa maneira de jogar RPG proporciona um nível de discrição uma vez que a comunicação entre mestre e jogador pode ser feita sem o conhecimento dos outros.

Os combates e quaisquer outros testes necessários geralmente são tratados através da astucia dos jogadores em sair das situações, de forma mais descritiva e nem tanto através de sorte, apesar que alguns jogadores de PBeM utilizam-se de sites na internet que rolam dados e enviam os resultados para uma lista de emails, para que todos tomem conhecimento dos resultados, ou ainda alguns gerenciadores de lista de discussão possuem comandos para geração de números randômicos, via certos conteúdos do email como por exemplo #random 1-20# para rolagem de 1d20.

Na versão jogada em fóruns o sistema é bem semelhante, cada tópico geralmente engloba uma cena com uma postagem inicial do mestre, todas as interações dos jogadores e possivelmente uma conclusão final.  A vantagem clara do Fórum é o controle das mensagens em um lugar só, toda a cena pode ser encontrada em um tópico e a consulta e entendimento não precisam que se procurem os emails passados. Outra vantagem é que programas de fórum são mais adaptáveis, aceitando plugins e modificações, diferentemente dos servidores e email que fazem parte da espinha dorsal da internet e, portanto, não são tão maleáveis. Dessa forma existem centenas de recursos para fóruns como controles de fichas de personagens, comandos específicos para rolagem de dados, até mesmo tabelas, postagem de imagens, mapas e outros itens relacionados ficam claros para qualquer um que utilize o fórum. Como exemplo, um fórum que acompanhei por algum tempo, durante uma aventura de investigação na década de 20 possuía arquivos de fotos das pessoas encontradas pelos jogadores, mapas de onde os crimes aconteciam, fotos das possíveis armas utilizadas e tudo amarelado do tempo, fotos antigas criando uma imersão fantástica no jogo.

Emails e fóruns são as vezes um pouco impessoais o que exige do mestre e dos jogadores uma certa dedicação mínima para que o jogo não trave. Afinal, qualquer pergunta necessária para resolver uma situação, ou o jogador ficar sem idéias do que fazer pode tornar maçante a experiência. Aquela ajudinha básica de mestre apontando a direção certa, ou os jogadores sendo mais dinâmicos engrandecem muito esse tipo de jogo.

Existem empresas voltadas para os jogos de RPG via e-mail ou fórum, provendo o conteúdo, gerenciando as ações a um custo mínimo. No Brasil a já extinta Anel Um era responsável por gerenciar diversas mesas virtuais via PBeM usando como cenário a Terra-média e possuia jogos para grupos de pessoas e até o controle de exércitos. Os custos em geral eram de 5 a 10 reais mensais tendo difersos planos, uma pena que ela não exista mais.

Existem várias empresas no mercado americano voltadas para esse tipo de serviço, em inglês claro. Sem contar que diversos portais na internet possuem gerenciadores de lista de discussão onde basta apenas você cadastrar os emails de todos e você já tem sua mesa criada, podendo começar mandando emails.

Mas o que você realmente precisa é apenas do email, amigos e uma boa dose de criatividade para gerenciar seu jogo, suas cenas e controlar o cenário.  Nunca esqueço um jogo via e-mail onde ao invés de rolar o combate contra um dragão negro faminto, o direcionamos para alimentar-se de um exército que marchava ali perto, exército esse mais do que preparado para lidar com o problema. Foi uma aventura divertida, rolada ao longo de algumas semanas e muitos emails, sem a necessidade de dados ou de estar presente em uma mesa. Nesse caso em especifico o Mestre rolava aventuras paralelas via email enquanto a aventura principal era em uma mesa presencial, criando um mundo vivo com histórias paralelas, vividas por personagens diferentes (e jogadores também) onde no fim o mundo descrito era bem rico e tinha uma historia bem montada.

Mais:

Google Groups: http://groups.google.com/

Yahoo! Groups: http://groups.yahoo.com/

Existem diversos fóruns aceitando novos tópicos para jogos. O multiply.com tem um esquema de fóruns e paginas bem interessante para os jogadores: http://multiply.com/

* Artigo originalmente postado no Paragons

Yastromo

Formado em Ciências da Computação e aficionado por ficção e fantasia escreve desde contos e histórias até análises de regras de sistemas ou mundos reais ou imaginários.

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE
%d blogueiros gostam disto: