The Flash #30

Arte: Brett Booth e Norm Rapmund

Começando no número 30, em Abril, a revista do Flash contará com um novo time criativo. Robert Venditti e Van Jensen (escritores) e Brett Booth (arte) irão levar levar as histórias de Barry Allen para uma nova direção — ahn… isso conta como um trocadilho?

Como o Barry trabalha para o CSI de Central City, o título do velocista da DC Comics passará a focar um pouco mais em procedimentos forenses, focando um pouco mais na profissão de Barry Allen (provavelmente recendo uma ajuda de seu alter-ego para resolver crimes, eu imagino).

Mas a bomba que a DC soltou no geekverso foi a notícia de que, três semanas depois de The Flash #30, as comic shops começarão a receber The Flash Annual #3, que reintroduzirá ninguém menos que Wally West!

Geralmente considerado o terceiro homem a ostentar o relâmpago dourado no peito, Wally West surgiu como Kid Flash, o “sidekick” adolescente do Flash, na revista-título The Flash #110 (volume 1), em Dezembro de 1959, e passou a ser o Flash na Crise das Infinitas Terras, depois que seu tio, Barry Allen, morre para salvar o planeta Terra. Wally West, como Kid Flash, é um dos fundadores dos Jovens Titãs.

The Flash Annual #3

Arte: Brett Booth e Norm Rapmund

Para quem começou a ler gibis nos anos noventa, como eu, Wally é o Flash; Barry Allen era seu antecessor (e, por algum motivo, o protagonista da série de TV). Porém, Barry voltaria dos mortos e reivindicaria seu alter-ego em 2008, com o arco Flash: Rebirth. Daí, quando a DC lançou os New 52 em 2011, lá estava Barry Allen, o Flash; nem sinal de Wally West. Até agora.

Nem Venditti nem Jensen deram maiores explicações para esse “retorno” de Wally, mas uma arte (supostamente de capa) para The Flash Annual #3 já está correndo a internet, com um Flash usando armadura azul e a “speed force” branca em volta dele, ao invés do efeito normalmente dourado. Vamos esperar.

Fontes:

(Agradecimentos ao Márcio Fiorito pela dica.)

Marcelo foi criança nos anos 80, então videogame pra ele é Sega, RPG é HeroQuest e calçado é All Star. Lê ficção especulativa sempre que pode, de preferência David & Leigh Eddings, Anne McCaffrey e John Scalzi. Evita TV como a peste — exceto se estiver passando Jornada nas Estrelas ou Supernatural. Gosta mais de cães do que de gente e abandonou a carreira de professor secundarista de História para pesquisar história da saúde pública na Escola de Enfermagem da USP de Ribeirão Preto.

Facebook Twitter Google+ Flickr Vimeo Skype  

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE
%d blogueiros gostam disto: