Eu comecei a ler DC Comics com a série JLA (Os Melhores do Mundo no Brasil), escrita por Grant Morrison, com arte inicialmente por Howard Porter e John Dell. Foi um retorno ao básico para a Liga da Justiça, com todos os outros títulos cancelados (e, dentro do universo, todos os times debandados). Com JLA a Liga foi restaurada como uma equipe pequena, formada pelos heróis mais reconhecíveis, mais antigos e mais poderosos da editora.

De fato, pode-se argumentar que a JLA é composta pelos super-heróis primordiais.

Incidentalmente, Grant Morrison meio que navegou contra a corrente dos anos 1990 ao montar um time com heróis de trajes coloridos, capas, com altos princípios morais e que evitavam matar. Na mesma época, a moda eram heróis sombrios, torturados, usando cromo e couro, que atiravam primeiro e faziam perguntas depois.

Podemos ver a JLA do Morrison como um panteão para-divino que literalmente cuidava de nós do firmamento: Superman, Batman, Mulher-Maravilha, Aquaman, The Flash, Lanterna Verde e Caçador de Marte tinham sua base na Lua. Eventualmente a série receberia mais heróis, fixos ou rotativos, mas os sete “originais” até hoje são freqüentemente lembrados como os sete originais (ou seis. Coloque um asterisco no Caçador de Marte). Por design ou coincidência, os sete (seis) heróis mais facilmente reconhecíveis do universo DC também estão entre os super-heróis mais antigos das histórias em quadrinhos, a ponto de podermos traçar as origens de todos os super-poderes concebíveis a eles:

Super-Herói
Superman
Batman
The Flash
Lanterna Verde
Mulher-Maravilha
Aquaman
Caçador de Marte*

Origem dos poderes
Alienígena
Treinamento
Acidente
Tecnologia
Divindade
Mutante
Misto*

Ano de publicação
1938
1939
1940
1940
1941
1941
1955*

O Caçador de Marte, infelizmente, não se encaixa. Eu chuto que o Grant Morrison o colocou na JLA para completar o número 7 (Morrison é super-exotérico). O Caçador de Marte tem origens de poderes mistas*, além de ser do limbo entre a Era de Ouro (1938–1950) e a Era de Prata (1956–1970) dos quadrinhos. Se era necessário que fossem sete, Morrison poderia ter escolhido um certo outro super-herói primordial. Mais sobre isso depois. Por ora, continuemos com essa gênese de todos os super-heróis. Nossos seis heróis primordiais foram os primeiros publicados, apresentando essas origens de seus super-poderes pela primeira vez na história dos quadrinhos, e de quem flue todas as origens de todos os poderes de todos os heróis que vieram depois. É fácil testar essa hipótese. Basta pensar em um super-herói, qualquer um, e você vai ver que a origem ou fonte de seus super-poderes (ou super-habilidades) é igual a um desses “primordiais”. Vamos a alguns exemplos:

Alienígena
Surfista Prateado, Venom, Rapina, Gamora, Drax, Invincible, Rom, Estelar, todos os Transformers, Gavião Negro e Mulher-Gavião, Big Barda, Starman, Doctor Who, todos os Saiyajin.

Tecnologia
Homem-de-Ferro, Visão, Homem-Formiga e Vespa, Rai, Bloodshot, H.A.R.D. Corps, The Great Machine, Ben 10, Tornado Vermelho, Abelha, Homem-Hora, Stargirl, Gladiador Dourado, Aço.

Treinamento
Pantera Negra, Viúva Negra, Gavião Arqueiro, Harpia, Justiceiro, Nick Fury, Soldado Invernal, Radical, Ninjak, Turok, Arqueiro Verde, Midnighter, Asa Noturna, Questão, todos os G.I. Joe.

Divindade
Thor e Hércules (tanto Marvel como DC), Angela, Valkyrie, Pássaro da Neve, Superior, The Darkness, Glory, Geomancer, Senhor Milagre, Gelo, Zauriel, Espectro, Novos Deuses.

Acidente
Jessica Jones, Homem-Aranha, Hulk, Quarteto Fantástico, Demolidor, Eternal Warrior, Quantum & Woody, As Meninas Superpoderosas, Doutor Manhattan, Nuclear, Capitão Átomo, Ciborgue.

Mutante
Todos os X-Men, todos os Inumanos, Garota-Esquilo, The Killer, Wild CATs, Cyberforce, Gen 13, todos os psiots (Valiant), Canário Negro (Dinah Laurel Lance), Jade, Impulso, Raio Negro.

Alienígena é fácil de explicar: o super-herói tem super-poderes porque ele não é daqui e algo na fisiologia natural de seu povo lhe concede habilidades fantásticas. Isso é tanto verdade para kriptonianos, que são idênticos a nós sob o sol vermelho de Kripton e só ganham super-poderes sob um sol amarelo, quanto para aliens que são super-poderosos mesmo em seu planeta, como é o caso do primeiro Capitão Marvel (Mar-Vell), Lobo e, numa interessante inversão desse clichê, John Carter (quando ele vai pra Marte). O primeiro alien também foi o primeiro super-herói, Superman, que estreou em Action Comics #1 em Abril de 1938, inaugurando a Era de Ouro dos quadrinhos. Antes dele, os heróis “pulp” do rádio e dos jornais eram combatentes do crime (Aranha Negra, o Sombra, Besouro Verde) ou aventureiros (Flash Gordon, Buck Rogers, Doc Savage).

Treinamento: o super-herói é, teoricamente, um ser humano normal, só que treinou e estudou a níveis absurdos, erguendo-se tanto acima do ápice humano que ele ou ela muitas vezes é páreo para outros super-heróis com super-poderes “de verdade”. Requer bastante suspensão de descrença para engolir o tanto que esses heróis são bons no que fazem (e como sobrevivem a ataques e impactos que matariam uma baleia) mas, pelo menos no mundo das histórias em quadrinhos, eles são só gente normal que treinou pacas. O primeiro super-herói super-treinado foi o Batman, que estreou em Detective Comics #27, de Março de 1939.

Acidente: o herói estava no lugar errado, na hora errada. Os heróis dos primórdios da Marvel Comics na era de prata se encaixam aqui, do Homem-Aranha ao Hulk, do Quarteto Fantástico ao Demolidor. O acidente não precisa ser, necessariamente, de origem tecnológica ou científica, por isso esta origem é distinta de tecnologia. O primeiro herói que surgiu de um acidente foi o Flash (Jay Garrick), em Flash Comics #1 de Janeiro de 1940.

Tecnologia: o herói seria uma pessoa perfeitamente normal se não fosse por um aparato ultra-tecnológico. O melhor exemplo é o Homem-de-Ferro, mas também contam heróis como o Capitão América (é o soro do super-soldado em seu sangue que lhe dá poderes), Bloodshot (nano-robôs), Besouro Azul (Jaime Reyes) e todos os ciborgues, robôs e andróides. O primeiro super-herói a ter poderes graças à super-tecnologia foi o primeiro Lanterna Verde (Alan Scott), All-American Comics #16 de Julho 1940.

Divindade: o super-herói tem como fonte de seus poderes o fato dele ser um deus ou algo que o valha. Apesar do Thor e todos os outros asgardianos do universo Marvel serem tecnicamente alienígenas… eles são deuses. Ou filhos de deuses. Ou escolhidos dos deuses. Ou ganharam poderes divinos. De qualquer forma , super-heróis nesta categoria têm poderes que só podem ser explicados pela existência de algum tipo de entidade cósmica. A primeira super-heroína de origem divina (e também a única mulher na lista dos super-heróis primordiais) é a Mulher-Maravilha, All Star Comics #8 de Outubro de 1941.

Mutante: o herói simplesmente nasceu com seus poderes. Todos os X-Men entram aqui, assim como os Inumanos, os psiots da Valiant Comics e também heróis que adquiriram poderes por hereditariedade, como a Jade dos Lanternas Verdes, o velocista Impulso e as personagens da DC Comics que sobrevivem a desastres e ganham poderes graças ao “metagene”. De qualquer forma, o ADN desses heróis não é igual ao resto da humanidade. Por muito tempo eu acreditei que o primeiro super-herói mutante tivesse sido Aquaman, filho de uma rainha atlanteana com um homem do mar (zelador de farol), mantendo a coesão do panteão morrisoniano, mas…

Problemas com o panteão

…eu recentemente descobri que Namor, o Príncipe Submarino, também filho de uma princesa atlanteana com um homem do mar (um capitão de navio), foi publicado antes. Aquaman estreou em More Fun Comics #73 de Novembro de 1941, enquanto que Namor estreou em Marvel Comics #1 de Outubro de 1939 — e, se você quer ser super-preciso, era pro Namor ter estreado no mesmo mês que o Superman, Abril de 1939, na revista especial Motion Picture Funnies Weekly que foi cancelada. (Incidentalmente, temos concomitante o surgimento do primeiro super-herói e também do primeiro anti-herói!) As coisas ficam pior para o Aquaman quando, estudando sua publicação, descobri que essa história dele ser meio-humano, meio-atlante, filho de um zelador de farol com uma rainha da Atlântida é uma nova origem para quando ele voltou a ser publicado em Adventure Comics #260 de Maio de 1959, depois de 14 anos sumido. Em sua origem em More Fun Comics #73 ele é um garoto normal que, com a ajuda do pai, um explorador do fundo do mar, estudou registros e artefatos nas ruínas da submersa Atlântida e, através de “treino e centenas de segredos científicos”, tornou-se capaz de respirar debaixo d’água e se comunicar com a vida marinha.

Namor por Joe Jusko

Vamos agora a outro furo que eu precisei fazer na idéia de do panteão da JLA como os super-heróis primordiais. Ou seja, finalmente vou explicar o asterisco do Caçador de Marte:

*Alguns heróis podem ter a paternidade disputada, ou melhor, têm origens mistas. Por exemplo, a Capitã Marvel é alienígena e acidente; X-O Manowar é alienígena e tecnologia; Demolidor é acidente e treinamento; Cavaleiro da Lua é treinamento e divindade; as Tartarugas Ninja são acidente e treinamento; etc. E é aqui que entra o Caçador de Marte. Ao longo das muitas revisões de sua origem, foi um acidente que o trouxe à Terra, seus poderes são naturais de todo marciano mas também advindos de super-ciência (arco Burning Martian). É uma pena que o Morrison tenha escolhido ele para ser o sétimo membro da JLA e não o primeiro super-herói a ter seus poderes em uma sétima fonte distinta…

Magia: Existe uma sétima origem de super-poderes, o mundo místico. Esta fonte se distingue de poderes divinos porque não advém necessariamente de divindades, mas do sobrenatural (seja por conhecimento para lançar magias ou como fonte inerente de poder arcano). Também é diferente de mero treinamento porque ser um acrobata ou excelente arqueiro não algo sobrenatural. Magia é. Entram aqui heróis que aprendem ou são imbuídos de mágica ou seu poder vem de uma fonte mística, como Doutor Estranho, Wiccan, Irmão Voodoo, Capitão Britânia, Punho de Ferro, Spawn, Witchblade, Shadowman, Hellboy, Wynonna Earp, He-Man e She-Ra, Zatanna, Constantine, Senhor Destino, Vingador Fantasma, Desafiador e Sailor Moon.

O primeiro super-herói de origem mágica é ninguém menos que Shazam! que estreou na Whiz Comics #2 em Dezembro de 1939 (como Capitão Marvel).

Sinceramente, essa má fama que a personagem tem de ser um Superman vermelho é muito mal-merecida. Ele é completamente diferente do Superman: Billy Batson se transforma no Shazam, enquanto que Clark Kent é só um disfarce; ele é um menino, enquanto que o Superman é um adulto; Shazam ganhou seus poderes de um mago, enquanto que o os poderes e habilidades do Superman são naturais, biológicos. Superman é um alien e qualquer kriptoniano que vier pra Terra terá os mesmos super-poderes dele; Os poderes do Shazam são mágicos, representados pelos seis anciões imortais da antigüidade (o que quer que isso queira dizer) e, quando outros membros da família Marvel invocam os mesmos poderes, a única fonte é dividida entre eles, deixando Shazam proporcionalmente menos poderoso. Ao menos, quando ainda havia uma família Marvel.

Do Shazam descendem todos os heróis mágicos.

Conclusões

Infelizmente, a decisão do Grant Morrison (ou talvez do editor Ruben Diaz, que começou sua carreira editando um gibi do Caçador de Marte) de colocar o Caçador de Marte como sétimo membro do panteão da revista JLA ao invés do Shazam (Capitão Marvel à época), estragou um pouco a minha idéia de uma equipe só, épica, com os super-heróis primordiais. Ah, e também tem o pequeno detalhe que o primeiro mutante é o Namor e não o Aquaman, minando a JLA de mais um herói primordial.

Bom, foi divertido tentar.

Shazam! por José Luis García López