Normalmente esquecemos os pequenos detalhes tão importantes da vida de um aventureiro no jogo. Pequenas situações e acontecimentos que poderiam deixar no mínimo mais cômica as sessões de jogo. E por que fazemos isso? Ora pois, esquecemos desses pequenos detalhe de própria nossa vida cotidiana! E olha que estamos imersos nela por vinte e quatro horas!

Raramente dedicamos mais do que três, quatro horas por semana a um personagem, então atos simples e corriqueiros como ir ao banheiro, lavar as roupas e coisas assim acabam muitas vezes ficando em segundo plano — e com razão, já que, como disse acima, dedicamos tão pouco tempo a desenvolver a vida desses personagens que não podemos perder tempo descrevendo as coisas mediocres da vida! Devemos descrever os feitos heróicos e magníficos a que estamos destinados com aquele personagem.

Vejam, eu não estou aqui defendendo que devamos transformar um jogo de RPG em um “The Sims”, onde todos os movimentos devem ser absolutamnete calculados para que se obtenham as melhores condições de vida. Só que determinados fatores da vida cotidiana que, se levados em conta, poderiam ser interessantes. Vocês ja pararam pra pensar quanto tempo se perde em se ir comprar roupa? Por diversas vezes passei em jogos de temátiva moderna situações que os jogadores, apenas para acelerar o processo, diziam: “ah, eu compro roupas novas”. Consigo imaginar muitas complicações para um cainita sem lacaios ir comprar roupas, cômicas ou não. Ou aquele guerreiro que deixou suas parcas posses chegarem a um estado de virar poeira por falta de cuidados, não necessariamente por descuido, mas sim porque as condições não permitiam seu reparo ou devida manutenção e que agora deve encontrar um rei ou grande dignatário nesse estado de miséria! Isso só pra falar em roupas.

Pequenos acontecimentos como ir a um barbeiro poderiam ser ganchos e inícios ótimos! Raras são as aventuras que começam já com todos sabendo seu propósito; muitas aventuras evoluem de situações normais da vida cotidiana em que alguém se vê forçado a tomar algum tipo de atitude.

Pensar no comum muitas vezes facilita muito. Como disse no meu artigo sobre railroading, quando tratamos daquilo que dominamos temos muito mais propriedade para falar e preparar as situações do jogo. E, o que mais poderíamos dominar que as pequenas coisas comuns e desimportantes, as quais partilhar tanto em nossas vidas, como na de nossos personagens!

Fe Palado Calib! Fe Istaras Apalo

Douglas é jogador de futebol americano pelo São Paulo Spartans, sempre arruma um tempinho para jogar RPG desde os 10 anos de idade, e nas horas vagas — mas só mesmo nas horas bem vagas— ele é arquiteto.

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE
%d blogueiros gostam disto: