20150211_rocketleague_13

Saber voar faz a diferença!

Sempre que tento explicar Rocket League para meus amigos eu me enrolo e percebo que transmitir a teoria é uma coisa complicada: simplesmente carrinhos de controle remoto jogando uma partida de futebol. Eles podem fazer acrobacias, voar e até destruir outros carros, mas tem que jogar para sentir a experiência caótica e recompensadora que esse joguinho causal oferece. Tenho amigos que detestam jogos de futebol, mas viciaram forte em Rocket League.

Lançado em julho desse ano, ele é o reboot de um jogo para PS3 lançado em 2008 chamado Supersonic Acrobatic Rocket-Powered Battle Cars, mas o jogo não fez sucesso. Porém, a Psyonix sabia que tinha algo bacana em mãos, por isso pegou o projeto original mais uma vez, deu uma repaginada nos gráficos e relançou com um nome mais simples para PS4 e PC. O sucesso foi imediato dessa vez, catapultado por inúmeros gameplays no YouTube e resenhas positivas.

Agora deixe-me explicar o título desse artigo. Rocket League é mais futebol que o FIFA por um simples motivo: esforço individual transformado em trabalho em equipe diante dos seus olhos. O jogo emula muito mais a sensação de ser um jogador de futebol que o FIFA. Enquanto controlando seu carrinho, você vê seu esforço fazer a diferença e criar jogadas que exigem sincronia com o resto do time. O senso de recompensa é imediato, quando você faz um cruzamento você ganha pontos, quando você tira a bola da sua área você recebe pontos, quando lança a bola na área adversária, também, até quando acerta a bola no ar e, obviamente, quando faz gol. Mas não só de gols vive o jogo. O jogador que assume a posição de goleiro também desfruta do senso de recompensa tão viciante. Quando o carro faz uma defesa, ele ganha pontos, quando tira a bola na linha do gol, faz uma defesa épica! E não é rara a possibilidade de um gol de goleiro que cria um mind blowing nos dois times! Voltando ao FIFA, você controla um time inteiro, futebol não funciona assim! Não estou dizendo que um é melhor que o outro, até por que são jogos MUITO distintos. Estou dizendo que o Rocket League se aproxima muito mais da experiência de uma partida real do desporto citado.

Customizando o carrinho.

Customizando o carrinho.

Vamos falar agora sobre o equilíbrio do jogo que é impecável. O fator crucial é a experiência do jogador. Vai jogar melhor aquele que entender o timing da bola, entender os conceitos de sinuca (pois tem momentos que você tem que saber para onde a bola vai angular), além disso, dominar o voo é um diferencial enorme também. Como mencionei acima, você pode destruir um carro adversário, mas saiba que o respawn é quase imediato, deixando claro que esse recurso é apenas para tirar um carrinho da jogada e não simplesmente eliminar um jogador. Por fim, o único power-up do jogo, é o Boost espalhado pelo campo. Você pode customizar inteiramente seu veículo, mas os props serão apenas estéticos. No final dessa equação, vai ganhar o time mais entrosado e mais experiente: assim como no futebol de verdade.

Rocket League é jogado em partidas curtas de cinco minutos. Se terminar empatado, vai para a prorrogação com o lendário gol de ouro, resultando partidas disputadas, engraçadas e épicas. Um jogo casual extremamente viciante, recomendo a todos!

Obs.: Quem quiser pode me adicionar na PSN: meu nick é RANIMATTOS.

Abraço e bons jogos!

Trabalha com Cinema e TV desde 2005 e joga RPG desde 1994, ao qual mantém uma relação de amor e ódio com D&D. Dono do podcast de cultura pop Dimensão 7.

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE
%d blogueiros gostam disto: