« Ilustração: ©2006 panoramacon (via DeviantArt).

Tenho jogado basicamente Savage Worlds e Dungeons & Dragons ultimamente, e isso tem me influenciado bastante quando ocasionalmente mestro outros sistemas, como Star Wars Saga, da Wizards of the Coast. Recentemente mestrei um arco de quatro histórias (transmitidas como podcast aqui) e tive que flexibilizar algumas regras do jogo para que ele ficasse mais heróico e menos mortífero, em particular nos primeiros níveis.

Depois de jogar, experimentar e refinar, cheguei a um pequeno conjunto de mudanças para o combate em Star Wars Roleplaying Game Saga Edition que considero satisfatório para minhas necessidades — e espero que para meus leitores também. Gosto de pensar nelas como atualizações do sistema, e são:

• Force Points, como bennies (Savage Worlds), são recarregados no começo de cada sessão de jogo (normalmente cada personagem só recarrega seus Force Points ao subir de nível). Ao contrário de bennies, Force Points não devem ser distribuídos por boas ideias, contribuição para a diversão, grandes sacadas, etc., porque isso favoreceria muito mais a classe Jedi (que usa muito mais Force Points que o restante das classes). Destiny Points, igualmente, recarregam no começo de cada sessão — vamos gastar esses Destiny Points, galera!

© 2008 takren (via DeviantArt)

• Assim como no Dungeons & Dragons, pode-se fazer um Second Wind por combate (não por dia, como é o normal pelas regras). Para ganhar um novo Second Wind, deve-se haver ao menos cinco minutos de intervalo entre dois combates (novamente, ideia roubada diretamente do D&D).

• Force Points podem ser usados para recuperar 1/4 de seus pontos de vida quando fora do combate (um Second Wind já está bom demais). Normalmente, cura e recuperação de pontos de vida ficam dependentes de Jedi com poderes apropriados no grupo e/ou a benevolência do GM.

Espero que essas ideias não quebrem o jogo, mas melhor maneira de descobrir isso é jogando — portanto, se você as testar, por favor volte aqui e me conte como foi!

Marcelo foi criança nos anos 80, então videogame pra ele é Sega, RPG é HeroQuest e calçado é All Star. Lê ficção especulativa sempre que pode, de preferência David & Leigh Eddings, Anne McCaffrey e John Scalzi. Evita TV como a peste — exceto se estiver passando Jornada nas Estrelas ou Supernatural. Gosta mais de cães do que de gente e abandonou a carreira de professor secundarista de História para pesquisar história da saúde pública na Escola de Enfermagem da USP de Ribeirão Preto.

Facebook Twitter Google+ Flickr Vimeo Skype  

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE
%d blogueiros gostam disto: