Enquanto eu pesquisava para escrever o texto Os Super-Heróis Primordiais, descobri que o videogame Marvel: Contest of Champions também distingue fontes de super-poderes, seis delas, e coloca todo super-herói e super-vilão dentro de uma. Vamos dar uma olhada e comparar com minha hipótese anterior.

Em Marvel: Contest of Champions as seis fontes de poder (chamadas no jogo de classes) são: Cosmic, Tech, Mutant, Skill, Science e Mystic. São seis e não sete como na minha classificação dos super-heróis primordiais (que hoje estão quase todos na DC Comics) porque o jogo unifica Alienígena e Divindade. Ficamos com uma tabela comparativa assim:

Minha hipótese
Alienígena
Treinamento
Acidente
Tecnologia
Divindade
Mutante

Contest of Champions
Cosmic
Skill
Science
Tech
Cosmic
Mutant

Cosmic se repete na coluna da direita. Podemos também ver essa comparação ao contrário:

Contest of Champions
Cosmic
Skill
Science
Tech
Mutant

Minha hipótese
Alienígena, Divindade
Treinamento
Acidente
Tecnologia
Mutante

Cosmic: esse é um jeito legal de considerar as personagens cuja fonte de poder estão “além da compreensão humana” e não podem ser explicados por nossa mera ciência. Também combina melhor com a cosmologia do universo Marvel, que sempre foi meio ambígua em relação a divindades (os asgardianos e olimpianos podem ser considerados alienígenas, apesar de em algumas histórias serem claramente deuses; Mefisto e Dormammu também às vezes são meramente seres de outras dimensões que por um acaso de assemelham aos demônios dos mitos judaico-cristãos). Ao mesmo tempo, a Marvel considera entidades cósmicas equivalentes a deuses (Galactus é às vezes uma força da natureza e às vezes uma divindade de poder incomensurável, capaz de enfrentar os Celestiais, a coisa mais próxima de entidades cosmogônicas no universo Marvel).

Em Marvel: Contest of Champions, tanto Groot quanto Hela são seres cósmicos, assim como são Venom e o Surfista Prateado. Ou seja, independente da fonte de poder “cósmica” da personagem ser por ele ser alien ou por ter ganhado poderes de uma entidade onipotente.

O jogo não considera personagens “multi-classe” talvez porque a vantagem que certas classes têm sobre outras em combate, no estilo pedra-papel-tesoura, já é mecânica complicada o suficiente. Apesar disso, algumas personagens não-jogáveis possuem classes combinadas (Grandmaster, The Collector, Maestro); e, no caso do Adaptóide e do Sentinela, são considerados de todas as classes (um tipo de super-trunfo que só a inteligência artificial do jogo pode usar).

Vale lembrar que Marvel: Contest of Champions é um jogo de luta/coleção criado pela Kaban usando a licença da Marvel, e não um exercício filosófico em busca de encontrar as origens primevas dos super-heróis das histórias em quadrinhos. Ainda assim, achei super-maneiro saber que tem mais gente por aí a quem ocorreu a idéia de aglutinar todos os heróis existentes em meia dúzia de origens.