Com a guerra entre Marvel e Warner/DC passando da telona para a telinha, mais um personagem pode entrar na disputa por audiência nas TV norte-americanas. Ninguém menos que Greg Berlanti, co-criador de Arrow e da vindoura série The Flash, será um dos produtores da série, que parece ter também Michael Green envolvido — Green não é um novato em se tratando de séries baseadas em gibis, tendo produzido Heroes, Smallville e Gotham, que já faz sucesso muito antes de estrear na TV, com o Netflix tendo pago 1,3 milhões por episódio para ter licença exclusiva de transmissão on-line.

© 2013 Márcio Takara

© 2013 Márcio Takara

A Warner pretende fazer com Supergirl o que o fez com Gotham: chacoalhar um roteiro na frente de todas as emissoras existente e descobrir quem morde a isca e financia um piloto. Isso significa que ainda é cedo para comemoar, pois ninguém pode se interessar e, mesmo se um piloto for produzido, já tivemos muita série que não passou disso.

Ainda assim, é boa a notícia que alguém na Warner/DC finalmente vai tentar produzir uma série de protagonista feminina. Com uma grande audiência desse gênero mantendo altas tanto os números de Arrow quanto as vendas de gibis em geral, já não era sem tempo. Em se tratando de cobrir heróis que não sejam homens brancos de queixo quadrado na TV, a Marvel já saiu na frente, tendo anunciado produção de séries protagonizadas por Luke Cage, Jessica Jones e Peggy Carter.

Felizmente, esse é o tipo de competição em que todo mundo ganha.

Fontes: