Já faz mais de um ano que a DC Comics está deixando o canto dos quadrinhos da Internet em polvorosa com o vago anúncio de um vindouro serviço de streaming à lá Netflix por parte deles. O line up de estréia parecia meio raquítico, com três ou quatro novas séries e TV, incluindo a tão esperada terceira temporada do desenho animado Young Justice.

Uma suspeita que nós no podcast Por trás da Máscara tínhamos era que talvez, quem sabe, o serviço também trouxesse quadrinhos digitais à vontade — atualmente os gibis da DC estão disponíveis apenas em modo à lá carte em serviços como Comixology, Kindle e MadeFire. Enquanto que a Marvel, Image, IDW, Dynamite e praticamente todas as outras editoras, grandes e pequenas, têm todos ou ao menos uma boa seleção de títulos antigos e correntes à vontade em serviços de assinatura como o Comixology Unlimited e, no caso da Marvel, o maravilhoso Marvel Unlimited. Até mesmo a Dark Horse, a última das editoras de renome a disponibilizar seus gibis no Comixology Unlimited, entrou na festa em Maio de 2016. Até mesmo a fracassada experiência do Scribd com gibis contou com todas essas editoras, exceto, notoriamente, a DC.

“Suspeita” é uma palavra muito forte. Nós sonhávamos com isso no Por trás da Máscara. Eu, particularmente, me satisfaria se esse DC Universe tivesse as séries animadas do Batman e do Superman dos anos 1990 — animações notoriamente difíceis de se encontrar à venda ou para alugar em DVD e tristemente ausentes da Netflix.

Mas o anúncio de ontem do co-editor-chefe da DC, Dan DiDio, confirma que teremos, sim!, gibis à vontade no serviço. A seleção será, inicialmente, pesadamente curada, com uma seleção pequena de obras importantes das eras de ouro (1938–1955), prata (1956–1970) e, mais recentemente, a fase The New 52 da editora (entre Setembro de 2011 a Maio de 2015).

Em outras palavras,

De acordo com DiDio (tradução minha), “essa seleção feita a dedo de nossas décadas de criações em quadrinhos dará aos fãs uma caixa de arquivo temática e digital para carregar consigo no dispositivo de sua preferência ou assistir o conteúdo em vídeo de sua preferência na TV, seguido pelo gibi que o inspirou.” Ou seja, pode ser que eu consiga ler gibis na minha televisão de LED na sala? Estou inesperadamente empolgado com isso. O que é bem estranho da minha parte, uma vez que comprei um iPad mini com Tela Retina exclusivamente para ler gibis.

Enfim. O acervo, ao que parece, vai ser bem limitado e nem de perto a festa do morango que é o Marvel Unlimited (que libera todas as revistas publicadas pela empresa precisamente 180 dias de lançadas nas bancas). Mas o próprio serviço da Marvel começou bem modesto quando foi relançado como Marvel Digital Comics Unlimited em 2007, substituindo o anterior, Marvel’s Digital Comics. Logo, podemos esperar que, se a existência de gibis em específico no DC Universe, e a plataforma em geral, fizer sucesso, a empresa melhore o acerto até, quiçá, empatar com a Marvel.

A post shared by DC Universe News (@dcunews) on

Um beta test do DC Universe começará em Agosto, e você pode tentar participar através do link oficial do serviço.

Ainda não temos informação sobre preço, mas assim como o Comixology Unlimited e Marvel Unlimited, o DC Universe só poderá ser acessado se você estiver nos Estados Unidos ou usar um serviço de VPN como o que eu uso, e recomendo, ExpressVPN (esse link aí te dá, e me dá, um mês grátis. Nudge nudge wink wink).

Fonte: http://www.comicsbeat.com/dc-announces-more-details-of-dc-universe-now-with-streaming-comics/