Todas as ilustrações podem ser ampliadas clicando-se nelas.

Atualmente os DMs têm à sua disposição várias opções para mapas e grids de combate, como os Dungeon Tiles. Porém, o mercado simplesmente não é capaz de suprir as necessidades criadas pelas mentes insanas dos DMs, e então ou temos que abusar da imaginação para “reciclar” os tiles ou partir para os mapas desenhados à mão e na hora. Mas se você é um DM perfeccionista como eu, que não se contenta em dizer “olha, esse círculo que eu desenhei aqui é uma estátua, ok?”, iniciamos aqui uma série de artigos (espero de coração que se torne uma série mesmo) com tutoriais e dicas para que você consiga fazer mapas personalizados de qualidade bem similar aos que existem no mercado.

Eu mestrei algumas aventuras com o Fantasy Grounds, e tive a oportunidade de criar alguns mapas (que você pode acessar abaixo).

Neste primeiro tutorial, faremos um mapa simples, uma pequena estradinha que passa por um gramado com algumas pedras e árvores (cenário padrão para uma emboscada).

Clique para ampliar.

Como diria o Tweedledee e Tweedledum, vou começar do começo e quando chegar no final eu paro. Para começo de conversa, você vai precisar de algum software bom de edição de imagens. Eu uso o Photoshop, mas embora o passo-a-passo destes tutoriais seja voltado a esse software, como todos os editores de imagem possuem as mesmas ferramentas, só muda mesmo a localização e o nome de algumas dessas ferramentas. Outra coisa, o Photoshop que eu uso está em inglês, então normalmente eu vou usar os nomes das ferramentas em inglês (não vou me arriscar a traduzi-los pois a versão em português do Photoshop tem umas traduções meio estranhas).

Começando: tamanho do mapa e resolução

Pode parecer estupidez, mas esta é uma das principais etapas, e se for feita direito vai evitar muita dor de cabeça na hora de imprimir. Vamos usar como base o grid de D&D com quadrados de 2,5 x 2,5. O mapa que faremos hoje terá 20 x 15 quadrados, o que dará um mapa de 50 x 37,5 cm.

Quando for criar um novo arquivo, no Photoshop (File > New, ou simplesmente Crtl + N), certifique-se de que as unidades estão em “cm” e não em “pixels” ou “pol”, e que a unidade de resolução esteja em “pixels/inch”, que chamamos de “dpi” (Dots per inch).

Maravilha, crie um arquivo com 50 cm x 37,5 cm e com 100 dpi (150 no máximo, se você quiser um mapa com muitos detalhes), em CMYK (para evitar surpresas na hora de imprimir) e com fundo transparente.

Grid

Para manter a noção de proporção das coisas, vamos fazer agora com que o Photoshop crie um grid com quadrados de 2,5 x 2,5. Vá em Edit > Preferences > Guides, Grids & Slices. Em Grid, você pode escolher a cor das linhas (eu normalmente deixo em vermelho), o estilo (deixe como Lines), as subdivisões (sempre 1) e o espaço entre as linhas, onde você deve colocar 2,5 cm. Dê OK e você terá o grid no seu documento, ou não. Caso ele não apareça, vá em View > Show > Grids que ele aparecerá.

A questão agora é que este grid não faz parte da imagem, e quando você imprimir você não terá os quadradinhos. O que você tem que fazer é desenhar as linhas usando o grid como base. Certifique de que a opção “snap” em “View” está marcada. E então com a ferramenta pincel (tamanho 5 ou menor, normal, opacidade em 100% e cor preta) desenhe as linhas. O legal é que o mouse será atraído pelo grid, e as linhas ficarão retas (uma dica é pressionar a tecla Shift enquanto estiver desenhando, para que o pincel não saia do grid caso se afaste muito).

Beleza, temos agora a base pra começar a brincadeira.

Dica: Nomeie a layer onde você desenhou as linhas como “Grid”, pra não se confundir depois (serão várias camadas no final). Aliás, o ideal é você nomear todas as layers que você criar.

Dica 2: Você pode criar um arquivo gigante com um grid gigante para usar como base. Dessa forma você não precisará desenhar o grid sempre que for fazer um novo mapa.

Texturas

Agora vamos criar o gramado pelo qual passará a estrada. Para isso, vamos usar uma textura de grama (pegue aqui). Com a imagem da textura aberta, vá em Edit > Define Pattern e dê OK. Isso fará com que o Photoshop entenda esta imagem como um padrão de preenchimento (uma vez definido isso, você pode fechar a imagem). De volta ao arquivo principal, crie uma nova layer (Layer > New > Layer; Shift + Crtl + N; ou simplesmente clique no botãozinho no canto inferior direito chamado “New Layer”!) e pinte ela toda de preto (dê um Alt + Backpace). Vamos nomear essa layer de “gramado”.

Clique com o botão direito nessa nova layer e escolha a opção “Blending Options” (é a segunda opção). Na janela que abrir, vá em “Pattern Overlay”. Nela você verá uma opção para escolher a pattern, onde você encontrará a textura de grama que definimos. Você verá que o preenchimento preto que você colocou será substituído pela grama.

Só tem um problema, a grama está muito grande!!!!! Simples, ajuste o “scale” para 25%.

Para a estrada, usaremos uma textura de terra batida com pedras (esta aqui). Abra a imagem e dê um “define pattern”. Crie uma nova layer e nomeie-a de “estrada” (!!!!). Sem preenche-la, vá em “Blending Options > Pattern Overlay” e selecione a textura de terra batida com 50% do tamanho.

Agora, com a ferramenta “Brush” (tamanho 400, 70% de Hardness), literalmente pinte a estrada por cima do gramado.

Perfeito, agora temos uma trilha de terra cortando um gramado. Mas a grama normalmente é mais alta que a trilha, então vamos acrescentar um pouco de profundidade nela. Vá novamente no “blending options” da layer “estrada” (você pode simplesmente dar um duplo clique na informação do Pattern Overlay que aparece abaixo da layer) e selecione a opção “Bevel and Emboss”, colocando “Style: Emboss”, “Technique: Smooth”, “Depth: 83%”, “Direction: Down” (isso é importante, já que queremos dar a impressão de que a estrada é mais profunda que o gramado), “Size: 54px” e “Soften: 12px”.

O legal é que as alterações que você fizer nessas opções são visualizadas em tempo real na imagem, então você pode ajustá-las da maneira que achar melhor.

Vamos agora acrescentar uma pequena elevação no canto superior direito desse gramado, de onde bandidos atirarão virotes enquanto a batalha ocorre na estrada.

Crie uma nova layer, mas coloque-a entre a layer do gramado e a da estrada. Defina o “Fill” dela para 0% (isso significa que quando você pintá-la, não aparecerá cor alguma, somente o efeito). Nomeie essa layer de “elevação”.

Vá no “Blending Options” desta layer e defina o “Bevel and Emboss” para “Style: Inner Bevel”, “Technique: Smooth”, “Depth: 1000%”, “Direction: Up”, “Size: 54” e “Soften: 0”. Obviamente não houve alteração alguma, já que só definimos o efeito desta layer. Dê ok e selecione a ferramenta “brush” (Tamanho 500, Hardness 0% e Opacidade 50%) e então pinte a área onde haverá a elevação (parte superior direita, quase chegando na estrada). Você vai perceber uma borda esquisita no canto da imagem.

Selecione a ferramenta “Move Tool” e mova a borda de modo que ela não apareça mais. Volte para a ferramenta “brush” e pinte uma nova elevação sobre a anterior. Teremos então uma elevação em cima da outra.

Vamos acrescentar agora algumas árvores. Você pode usar esta imagem (como esta — é importante que você a salve como PNG para que ela mantenha o fundo transparente). Jogue quantas árvores você quiser (eu coloquei três, uma no alto da elevação e duas no canto inferior direito). Simplesmente abra a imagem da árvore, clique nela e arraste para o mapa, e cada vez que você fizer isso, criará automaticamente uma nova layer. Você pode diminuir o tamanho e rotacioná-la apertando Ctrl + T.

Quando você estiver satisfeito com a quantidade, tamanho e posição das suas árvores, selecione todas as layers onde estão as árvores (mantenha o Ctrl pressionado e clique nas layers com árvores) e clique com o botão direito selecionando a opção “Merge Layers”. Isto fará com que todas as layers de árvores sejam fundidas em uma só (atenção, uma vez feito isso, você não conseguirá mover as árvores separadamente!).

Com a layer das árvores selecionada, vá em “Blending Options” e selecione “Drop Shadow”, colocando as seguintes configurações: “Blend Mode: Multiply”, “Opacity: 74%”, “Distance: 55 px”, “Spread: 2%”, “Size: 78 px” e a cor preta. Dependendo de quantas árvores e da posição que você as colocou, você pode querer alterar estas configurações (caso você altere o ângulo da sombra projetada, não se esqueça de desmarcar a opção “Use global light”).

Retoques finais

Quase pronto!

Agora, para dar um clima ao mapa, crie uma nova layer, com 80% de opacidade, e com o “brush” (tamanho 900, Hardness 0%, e opacidade 10%) pinte a área da estrada e do gramado, exceto a elevação. Dessa forma, a elevação ficará um pouco mais iluminada que o restante do mapa.

Caso você queira que o encontro que ocorrerá nesse mapa se passe durante a noite, você pode criar uma nova layer e pintá-la por inteiro com um “brush” com 90% de opacidade, azul escuro, e selecionar a opção Darken na nova camada.

E o Grid???

Para finalizar, selecione a layer nomeada como “grid” e coloque ela acima de todas as outras, ou se preferir, abaixo da layer das árvores.

Impressão

Quando for imprimir seu mapa, muito provavelmente você terá que cortá-lo em vários arquivos diferentes, com tamanho um pouco menor que a folha a ser impressa (pois as impressoras mantêm uma margem de impressão). Nunca, em hipótese alguma, marque a opção “Scale to Media”, caso contrário o seu mapa será impresso fora da escala e você terá um grid com quadrados de 0,5cm por 0,5cm.

Dicas Finais

Este tutorial não é uma receita de bolo, portanto brinque com todas as opções e configurações citadas, descobrindo novas formas de fazer seus mapas.

Existem inúmeros sites onde você pode encontrar texturas e objetos. Eu uso o CG Textures (http://www.cgtextures.com/) para as texturas e o fórum do Dundjinni (http://www.dundjinni.com/forums/forum_topics.asp?FID=8) para os objetos de mobília a árvores, até veículos e corpos.

É isso aí,, espero que tenha gostado deste tutorial. Nos próximos tutoriais mostrarei como fazer aquele famigerado piso de dungeon, com rachaduras e tudo mais. Até a próxima!

Andrews Chetera

Andrews tem 24 anos e joga RPG desde os 10, normalmente como DM. Além disso, nas horas vagas trabalha como Designer e professor de Ciências. Atualmente está tentando, sem sucesso, convencer sua noiva de que RPG é divertido.

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE
%d blogueiros gostam disto: